PINK - Mulher com Propósito
25/10/19

Temperamentos- Parte Final

Temperamentos - Série PINK
Temperamentos

Igual nem sempre é o mesmo

Existem quatro tipos básicos de temperamentos:
Sanguíneo – entusiástico, ativo e social.
Colérico – pavio curto, rápido e às vezes irritado.
Melancólico – analítico, sábio e quieto.
Fleumático – relaxado e muito tranquilo.

Vamos ter mais características de cada temperamento no Encontro PINK.

Como seres humanos, somos iguais, mas isso não significa dizer que somos os mesmos. Muitas vezes nós confundimos isso, e pensamos que porque somos adultos, participamos do mesmo grupo, somos da mesma igreja, somos professoras, somos um casal, somos amigas (você entendeu o ponto, né?), passamos a pensar que somos os mesmos. Não! Claro que não! Somos iguais no sentido de que fazemos parte do mesmo grupo, do mesmo relacionamento, mas não somos os mesmos. Porque se fôssemos os mesmos, um de nós seria desnecessário.

Na lei de os opostos se atraem, eu vejo que vou gravitar para pessoas com temperamentos opostos ao meu. Porque eu reconheço, intencionalmente ou não, e espero que de agora em diante, intencionalmente; que eu preciso do oposto na outra pessoa para acionar em mim partes que estão dormentes ou às vezes, defeituosas. Preciso começar a ver que o oposto do outro me faz ser tudo o que eu não consigo ser sozinha ou com pessoas com o mesmo
temperamento que o meu.

Hoje quando olho ao meu redor, percebo que as minhas melhores amigas tem o temperamento do meu esposo. Demorou um pouco para eu perceber isso, mas comecei a ver a bondade de Deus em me ajudar a ser tudo que Ele me chamou para ser. Ele me cercou de pessoas, várias delas, com temperamentos diferentes do meu para que eu veja que há em mim uma
capacidade grande de amar e ser amada. De compreender e ser compreendida. De perdoar e receber perdão. De aprender, crescer e ser melhor.

E tudo isso eu vou experimentar se eu escolher fazer parte das aulas que estão no meu currículo de vida e aceitar que os “professores”, ensinando essas aulas, tem conhecimentos que eu não vou aprender sozinha.

A única forma de descobrirmos se estamos aprendendo é sermos testadas. Ah! Como eu não gosto dessa parte! Eu não me importo em atender as aulas, aprender o conteúdo, mas fazer a prova, ah! Isso é chato. Porque na prova eu vou descobrir a profundidade do meu conhecimento e a minha habilidade de pratica-lo. Claro que na vida real, isso se manifesta em nossos relacionamentos, e relacionamentos são duas partes. Eu só posso ser responsável pela minha parte. Porque eu sei quais as aulas eu fiz e quais as aulas eu faltei, e claro que isso altera meu conhecimento e habilidade de processar as questões no dia da prova.

Todas nós vamos ter que fazer as provas da vida. Por mais que eu não goste de fazer, gosto do resultado, porque eles me revelam em que nível eu estou e me ajudam a decidir se preciso estudar mais ou se eu preciso revisar aquele material novamente. E talvez o resultado me mostre que eu sei, mas não sei passar pelo teste; e daí eu preciso de humildade para pedir socorro à um tutor que vai me ajudar a enxergar o que eu não consegui aprender na sala de
aula com todo mundo.

Abrace o seu temperamento. Para viver a sua história você precisa ter o temperamento que você tem para superar, experimentar e viver o que você vai viver. Aprenda com, e valorize os temperamentos diferentes do seu, eles são realmente presentes de Deus para fazer de você quem você foi criada para ser.

Jordania Nargiz

24/10/19

Temperamentos – Parte 4

Temperamentos - Série PINK

Temperamentos

Aprendendo com o diferente

Agora que você fez a lista com alguns nomes de pessoas com o temperamento oposto ou diferente do seu e o que irrita você ou causa frustração em você nesse temperamento, vamos pensar exatamente dessa forma.

Ninguém é apenas o temperamento. Nós somos a junção de vários componentes que resultam na nossa formação, nos formando como um todo. São muitos detalhes juntos que resultam em quem somos. Da próxima vez que eu e você nos irritarmos com algo que alguém fez (uma amiga, namorado, esposo, mãe), vamos entender que talvez não estejamos irritadas com tal pessoa como um todo, mas sim, com alguma atitude dela; o que na verdade é apenas parte dela, e não ela como um todo. Isso faz parte do processo de amadurecimento. E enxergar assim, é uma escolha.

Eu lembro que no começo do nosso casamento, quando nós tínhamos algum desentendimento e eu estava tendo aquelas conversas comigo mesma sobre como o meu esposo estava errado, como ele não me entendia, e que nosso casamento era horrível, o Garo sempre falava para mim: “mas 99% do tempo nós nos entendemos e amamos um ao outro. Esse seu julgamento do nosso relacionamento não é correto.
Você vai deixar o 1% ser mais forte do que os outros 99%?”

Olhe para a lista que você fez (falamos na Parte 3) no momento em que esteve chateada, mas volte para analisar quando não estiver mais. Você vai perceber que quando as suas emoções passarem, o “monstro cabeludo” na verdade é só uma mosquinha.

O que eu aprendi nesses vinte anos de casada? Que algumas das coisas que me irritavam no meu esposo, em termos de temperamento, são coisas que eu preciso prestar atenção em mim. Que eu preciso trabalhar em mim, porque não vem de forma natural.

Por exemplo: Eu me irritava muito com a forma detalhista dele ser e fazer coisas. Mas, com o tempo, eu aprendi que os detalhes são importantes, e aprender isso, me ajudou em parte do meu propósito em liderar uma organização que está se tornando global. Só que vinte anos atrás, eu não tinha como enxergar que o que me irritava nele, era parte do meu treinamento para ser uma líder melhor. Eu estava sendo treinada em como usar a lente dos detalhes, porque ela não veio no meu kit inicial.

Existem poderes em nós que só serão acionados quando conectarmos o positivo em nós com o “negativo” de alguém. Positivo com Positivo nem sempre resulta em poder.

Eu quero desafiar você à olhar para as pessoas diferentes ao seu redor como um todo, e não apenas para o 0.1% que te irrita, frustra ou decepciona você, porque todas nós temos 99% que vale a pena e que soma bem mais.

Amo você PINK Girl! Você não está sozinha!

Jordania Nargiz

23/10/19

Temperamentos – Parte 3

Temperamentos - Série PINK

Temperamentos

Os opostos se atraem
 
Você já ouviu isso? Aprendeu na escola talvez? Essa é uma verdade aplicada em muitas áreas da nossa vida.
Com o nosso temperamento, isso é uma realidade.
 
Eu sempre soube que eu iria me casar com um homem forte, decidido, mas reservado. Mesmo que durante a minha adolescência, os meninos super extrovertidos me chamavam atenção (porque esse é o nosso ritmo. Falando para todos os extrovertidos que estão lendo essa Série), eu não me sentia atraída por eles. Algo dentro de mim, me levava a gravitar em direção aos meninos mais reservados, no sentido romântico. Isso era natural. Eu não havia treinado para sentir assim, simplesmente acontecia.
 
O ser humano é uma criação poderosa. E claro que podemos ir em muitas direções para explorar isso, mas vamos focar no âmbito dos temperamentos.
 
Mesmo sendo criados com uma capacidade incrível, não fomos criados para operar sozinhos. Em nossa essência não somos completos em nós mesmos. É como se fôssemos uma lanterna. Fomos criados para transmitir luz, e luz é poderosa. Mas a lanterna, mesmo que completa como lanterna, para funcionar precisa de pilhas, e geralmente duas, que vão se conectar o lado positivo e negativo, e quando colocadas juntas, geram poder para trazer a lanterna para sua total funcionalidade – de transmitir luz.
 
Assim também somos nós. Fomos criadas de forma maravilhosa, todas nós. E quando eu junto a minha parte com a parte oposta a minha (falando na área de temperamento), é acionado em mim o poder de ser tudo que eu fui criada para ser.
 
Então, ao invés de lutarmos para mudarmos o temperamento uns dos outros, nós precisamos abraçar o temperamento oposto ao nosso redor e aprender a funcionar com esse temperamento, porque é esse temperamento que vai acionar em mim poderes que eu não vou conseguir experimentar com temperamentos iguais ao meu.
 
Agora, vamos pausar!
 Faça uma lista das pessoas que estão ao seu redor que tem temperamentos diferentes do seu e que te deixam louca. Próximo ao nome dessas pessoas, descreva o que é que te irrita sobre ela.
 
Na Parte 4 vamos  aprender o porquê o nosso oposto está nos irritando ao invés de nos energizar.
 
Jordânia Nargiz

Página 1 de 2
Botão voltar ao topo
PINK – Mulher com Propósito
Mesinha